Rabiscos

FANFIC Para Sempre Minha Garota Estrela - Por Nana Hope
FANFIC Para Sempre Minha Garota Estrela - Por Nana Hope


Capítulo 01 – I Wish A Could Bubble Wrap My Heart…

- dá pra você parar de ser infantil e me escutar? – gritava , já descontrolado pela emoção do momento, mas ao ouvir nada mais que o silêncio do outro lado da linha, percebeu que havia ido longe demais, se arrependeu quase que instantaneamente – me perdoa? - ele gemeu baixinho- o silêncio que se instaurou entre eles pareceu durar uma eternidade.
- Perdoar pelo que ? – perguntava esgotada – pela milésima traição, ou você fez mais alguma coisa que me fará te odiar até o fim da sua vida?
- Se você me deixasse explicar...
- Eu não tenho mais nada para ouvir de você, mas que diabos , você não respeitou o dia do nosso aniversário.
- As coisas nem sempre são o que parecem.
- CALA A BOCA!!! - ela gritava reunindo toda a força que ainda tinha, enquanto suas lágrimas teimavam em rolar pelo seu rosto - Ouça bem o que estou te dizendo, esqueça que um dia você me conheceu, juro que tornarei mais fácil para você, embora o que eu vi hoje mostre que não será necessário muito esforço da sua parte.
- Mas que porra , será que você poder... - a frase se perdeu, já não estava do outro lado da linha.



Flashback ON

- Bom dia cutezinha da minha life! – dizia enquanto dava selinhos na namorada e ao mesmo tempo puxava o edredom dela, sabia que isso a irritava, mas era inevitável ver a carinha de brava que ela fazia e que ele tanto amava – Feliz 4° ano! Te amo!
- Awn me deixa dormir, estava num sonho tão bom – seus lábios se curvavam em um sorriso ao lembrar do sonho, enquanto puxava o edredom para si, dessa vez cobrindo até o rosto.
- Com quem estava sonhando? - perguntava arqueando a sobrancelha, era involuntário, fazia sempre que estava contrariado.
- deixa de ser bocó, eu estava sonhando com você – revirou os olhos ao ver um sorrisinho presunçoso se formar nos lábios dele – e com mais uma coisinha.
- E a senhora não vai me contar o quê vem a ser essa “ mais uma coisinha?” – perguntou fazendo aspas com as mãos enquanto pronunciava coisinhas.
sorria bobamente, vendo emburrado, era impressionante que mesmo depois de 4 anos ela não conseguia deixar de amar cada detalhezinho dele.
- você nem vai ver o que eu preparei para você lá embaixo?
- Prefiro continuar dormindo, ou o senhor não quer ter uma noite e uma madrugada na mais pura insônia comigo.
sorria agora pervertido, cogitou a idéia por alguns instantes. Sua mente já trabalhava de maneira tão pervertida quanto o seu sorriso, mas não se deixou dominar, não ainda, teria tempo o suficiente para pensar nas “maldades” que faria. Afinal ele não pediu para ser provocado.
- Tudo bem, eu entendo – como podia ser cínico quando queria – se você quiser desperdiçar um Mocha Frappuccino e alguns muffins que comprei pro nosso café-da-manhã, não se preocupe, eu como tudo por mim e por você.
Ao ouvir falar em seu café favorito do Starbucks, nem esperou dizer mais nada, saiu correndo do quarto deixando o namorado surpreso, mas este se recuperou logo, puxando-a para trás e correndo até a cozinha, ao se ver em desvantagem, pulou nas costas de e mordia a sua orelha, não obtendo resultado algum, resolveu apelar para o seu sexy appeal. mordia e beijava o pescoço dele, mas de maneira mais calma dessa vez, ao ouvir uns curtos gemidos do , percebeu que estava fazendo um bom trabalho, decidiu provocar um pouco mais, agora descendo uma das suas mãos até o peito dele, sabia o quanto ele era sensível ali, conseguindo alguns gemidos, agora mais alto, seu trabalho estava feito, “desmontou” das suas costas e virou-se para ele, o beijava de modo que o imprensasse na parede. O que aconteceu em seguida foi bem rápido, novamente correu em direção a cozinha, em busca dos seus amados muffins, deixando um “ animadinho” (N/A se é que me entendem) ainda encostado na parede e com cara de criança que tinha acabado de ter seu doce retirado, mais que literalmente falando.
- Amor, esses muffins estão mais gostosos que o normal – dizia empolgada, mas não conteve o riso ao ver a cara de desolado que o fazia, e o quanto seu amiguinho estava animado.
- Como você é engraçadinha.
- Awn bebê, vem aqui vem, já disse o quanto você fica sexy mal-humorado? – distribuindo beijinhos pelo queixo dele.
- Nem! E não vou cair no seu joguinho de novo – reclamava manhoso e com o orgulho ferido.
- , para de fazer cu doce, pensei que fôssemos comemorar o nosso aniversário fazendo algo interessante.
Como um velho sábio twitteiro costuma dizer, a carne é fraca, o orgulho não compensa e para que existem quartos se cozinhas podem ser belas substitutas...

Flashback OFF

ainda encarava o telefone, estático, como um dia que começara perfeito estava acabando de maneira tão trágica.
- Tudo por culpa daquela puta da – ele gritava enquanto arremessava contra a parede, a primeira coisa que encontrou na sua frente – Vadia, ela armou tudo, como eu fui capaz de namorá-la por tanto tempo? Precisava desabafar, precisava de uma luz, como reconquistá-la como fazer entender que ele foi tão vítima na história quanto ela. Discou o já tão conhecido número de , era de longe o seu melhor amigo, na verdade todos os McGuys eram como seus irmãos, mas ele e tinham passado por muitas coisas juntos, o que lhe dava o título de melhor amigo.
-Oi...... ?

Flashback ON

- , awm , é tão linda! - dava gritinhos histéricos, grudando em seu pescoço – é a coisa mais linda, te amo!
havia encontrado dentro do seu último muffin uma pulseira de prata, com 3 pingentes de estrelas, na maior estrela estava escrito: My star girl. Estrelas fascinavam o casal, uma vez por semana eles iam a praia, mais precisamente na quarta-feira, dia sagrado para ambos, passavam todo o dia juntos assistindo filmes e ao entardecer, assistiam ao pôr-do-sol em praias diferentes, e só voltavam para casa quando a última estrela surgisse no céu, deixando-o todo pintadinho com aquelas pequenas maravilhas brilhantes.
- Eu sabia que você ia amar – disse presunçoso - acho que este ano, eu superei no quesito presentes.
- Sinto em lhe informar hun! Mas o que eu tenho para você, é simplesmente o melhor presente do mundo, algo que você mais quis, e não vou dizer mais nada, você saberá do que se trata, a noite, e só a noite!
-Boba.
-Feio.
- Te amo, sua guardadora de segredos mais secretos do namorado mais lindo e gostoso!
- Você é muito prepotente! – fingia uma indignação, mas no fundo concordava, ela tinha de fato o namorado mais lindo, gostoso, convencido e amado de todo o mundo.
- Boba, feia! – estava atrasado para encontrar os guys, depositou um beijo no topo da cabeça de , e saiu em direção a porta – Hey, não esquece de levar o meu presente, nem vou ensaiar direito hoje tentando avinhar o que é, espero que tenha algo a ver com aquela sua lingerie vermelha...
- Tchau – se despediu, não antes de soprar um beijo, o mesmo que pegou no ar guardou no coração, não antes de sussurrar um último – te amo!



- Não acredito que é o ligando pela 9384648394387493° vez, dessa maneira eu nunca estarei pronta a tempo – reclamava , atrapalhada entre calçar o scarpin e atender o celular que havia deixado na sala. Como ela esperava, era uma mensagem do :

Amor, estou contando os minutos para te ver, não sabe o quanto está sendo chato passar o dia de hoje longe de você. Vem mais cedo, assim eu mato a saudade e canto para você o próximo single do McFly, acho que não preciso dizer quem é a minha fonte de inspiração. Com amor:.

Quando queria conseguia ser, o ser mais fofo do universo. já havia perdido a conta de quantas músicas ele havia composto para ela, e cada uma delas ocupava um pedacinho no seu coração, e ainda havia espaço para quantas mais a dedicasse. correu de volta ao quarto, estava quase pronta, teria uma noite perfeita. Ela vestia um ara-que-caia preto curtinho, era de longe o vestido que ele mais gostava, um scarpin rosa envernizado com salto roxo, uma maquiagem leve, somente com os olhos marcados por um delineador preto e um gloss rosa claro nos lábios. Trancou o apartamento e dirigiu até a Super Records, do caminho, ligou para avisar que já estava chegando, mas o celular de estava desligado, ele sempre odiava que atrapalhassem o ensaio.
10 minutos depois ela já estava na portaria do prédio, achou estranho estar vazia, poderia ser o horário da troca dos porteiros, mas não justificava, poderia entrar um assaltante, um sequestrador, e os garotos lá correndo riscos, mas por outro lado, poderia ser também alguma brincadeirinha do , todos os sintomas estavam lá: Mensagens no celular, antecipação do encontro, pediu para que ela fosse até lá... Estava convencida, estava tentando surpreendê-la, mas ela sacou tudo bem rápido, era isso.
Subiu até o 3° andar, e como esperava estava tudo tão escuro quanto na portaria, a princípio o local estava silencioso, mas quanto mais se aproximava da sala de ensaios, ouvia alguns pequenos ruídos, se perguntava se eles já sabiam da sua presença no local, será que passaram a tarde inteira preparando a surpresa para ela? , e eram os melhores amigos que alguém poderia ter. Continuou andando na direção das vozes, que agora ficavam mais audíveis, a voz de se destacava, não sabia se era por ele estar falando mais alto, ou simplesmente por ser a voz do amor da sua vida. ria baixinho imaginando a cara de surpresa que faria quando percebesse que ela não se surpreendeu, ou será que ela deveria fingir estar surpreendida só para não magoá-los após todo o possível trabalho que tiveram. Ainda sorrindo, abriu a porta, esperou uns 2 segundos, mas não ouviu o tão esperado “surpresa” tateou o interruptor conseguindo iluminar o ambiente, e sim, conseguiu surpreendê-la, mas de uma maneira que ela nunca imaginaria, ele estava sem camisa, sentado no sofá, o mesmo em que ele passava horas, compondo, e agora tinha uma vadia no colo, ela estava nua, com uma perna em cada lado da cintura dele, mordiscava a sua orelha, era o ponto fraco do , e como ela sabia? O corpo de tremia, não sabia se de raiva, decepção ou um mix de tudo, o que só fez piorar quando ela reconheceu a “vadia”, ninguém mais, ninguém menos que a ex-namorada do , a pessoa responsável por todas as crises em seu relacionamento, a mesma pessoa que ligava para atormentá-la todas as noites em que estava em turnê com o McFly, dando a entender que ele estava se divertindo com algumas fãs dispostas a fazer tudo com o seu ídolo. Traição é algo imperdoável, mas com “ela”, é passe só de ida para o inferno. E tinha acabado de ganhar o seu presente de 4 anos: um inferninho particular.


Flashback OFF

-?
- Oi , seu safadinho – brincou - está me ligando pra jogar na minha cara o quanto a sua noite está divertida enquanto eu estou na seca e de ressaca? Ah , deixa de ser idiota, me zoa amanhã, aproveite ao máximo aí, nem todos tem a sua sorte de ter uma namorada gostosa e que te ama.
- você não está entendo, a na não quer nem olhar na minha cara.
- O que você fez dessa vez? – ironizou – Esqueceu de comprar o presente dela?
- Claro que não – Porque era tão idiota mesmo? - Ela... - respira fundo, tentando absorver tudo o que aconteceu – A chegou aqui na gravadora e meu viu com a . - MAS O QUÊ? – gritava descontrolado – você é retardado, tem probleminhas por um acaso, como você pôde ter uma recaída logo com ela?
- Não é o que você está pensando – isso parecia um dejavu.
- Juro que se estivesse perto de mim, já teria levado um soco na sua cara!
- Pensei que fosse meu amigo.
- O que não significa aceitar tudo o que faz, principalmente quando está envolvido magoar uma pessoa maravilhosa como a .
- Mas eu sou inocente, caralho! Porque ninguém acredita em mim?
- Depois você me conta os detalhes sórdidos – interrompeu – Vai logo conversar com a , é pra ela que você deve satisfações.
- É o que pretendo fazer, mas perdi a coragem, não vou suportar ser desprezado por ela.
- Garanto que vai suportar menos ainda, ter que ficar sem ela.
- Okay cara, vou para casa agora.
- Está esperando o que veado? Já era para ter ido, e boa sorte! Vai precisar!
dirigiu o mais rápido que pôde, pela 1° vez na vida fez o percurso de volta a sua casa em menos de 10 minutos, provavelmente receberia algumas multas por excesso de velocidade, por ter ultrapassado alguns, ou todos os sinais vermelhos, mas era um preço a pagar para ter de volta. Sabia que não seria fácil ser perdoado, as aparências conspiravam contra ele, e ele conhecia muito bem, realmente não seria fácil. Estava nervoso demais, não esperou o elevador, subiu as escadas até o 3° andar, (N/A o universo conspirando again, 3° andar rules) hesitou um pouco em frente a porta do apartamento em que viveu boa parte dos momentos felizes da sua vida, foi como se tivesse revivido cada um deles em questão de segundos.
- ... Sei que não quer falar comigo, entendo o quão está magoada falava atropelando as palavras, ao mesmo tempo em que esmurrava a porta - mas é importante, eu não posso te deixar aqui sozinha hoje, justo hoje – estava um pouco mais exaltado - hoje é um dia importante para nós, eu não faria nada para estragá-lo. está me ouvindo?
Não ouvindo resposta, que num primeiro momento deu o espaço para que se sentisse a vontade em recebê-lo ou não, não conseguiu se conter, abriu a porta usando a sua chave, mas no primeiro olhar que lançou pelo apartamento, percebeu que tudo estava pior do que sempre esteve, as cortinas estavam rasgadas, porta-retratos estilhaçados no chão, o mesmo chão que estava coberto de fotos rasgadas, do anteriormente casal feliz, continuou percorrendo o apartamento, como se estivesse em transe, vivendo um terrível pesadelo, mas seu pesadelo tornou-se real quando chegou ao quarto e percebeu que ele se encontrava vazio,não estava lá, nem ela e nem nada que denunciasse que um dia ela esteve ali...

Capítulo 02 - Alone Again...

- ... – tinha dificuldades em formar frases com sentindo, estava largado no chão, seu coração estava em pedaços, assim como as fotos que teimavam em atrair o seu olhar, em sua garganta havia um bolo, não sabia descrever de fato o quê estava sentindo, era um sentimento novo, mas sabia que nunca havia se sentido tão mal.
- O que houve ? – perguntava preocupado, do outro lado da linha – Quer que eu vá até aí? - Ela me deixou – o rosto de agora estava coberto por lágrimas, tentava esconder seus soluços, mas não obtendo resultados - foi embora.
emudeceu, devido aos recentes acontecimentos, ele seria o portador da noticia, a notícia que anteriormente ele havia considerado a melhor do mundo, e agora ele teria que falar pro ... Mas como falar, essa missão não deveria ser dele, mas...
- já tentou falar com a ? Ligar para todos que a conhecem, sei lá, alguém que a hospedasse por algum tempo, até que ela se acalmasse?
- Já, liguei pra todos, ninguém sabe dela, não quis dizer o que houve para não preocupá-los, por isso te liguei, ela te adora... Você é a minha última esperança.
- Cara, acho que ela foi embora...
Mas isso eu já te disse – a irritação de crescia ainda mais, que parte do “ ela me deixou, foi embora” ele não havia entendido?
- Eu acho que ela voltou...
deixou a frase solta no ar, mas dessa vez entendeu o que ele quis dizer, ela não só saiu de casa, da vida que tinha com ele, como também abandonou Londres, estava voltando para o Brasil.
- isso não é tudo – respirava fundo, tentando passar um pouco de segurança na sua voz, sabia que agora mais do que nunca precisava dele – É sobre a surpresa que a tinha pra você...
- Vai tomar no cu, ! Você acha mesmo que eu estou preocupado com surpresa ou com presente? Eu só quero a minha mulher de volta, só isso, e se você não pode me ajudar...
- cala a boca e me ouve. O que eu tenho pra te dizer é muito importante, eu não queria ser quem vai te contar isso, mas nas circunstâncias que tudo se encontra...
- O que é essa porra então?
- , o que você mais quer nesse mundo? - perguntou .
- Você está de sacanagem com a minha cara. Só pode!
- O que você mais queria nessa vida, depois que o McFly estivesse estabilizado, e que você tivesse encontrado alguém com quem dividir uma vida?
-Um filho, – respondia as perguntas do amigo, mas se pudesse socá-lo por fazê-lo perder tempo enquanto deveria estar procurando a sua mulher,o faria – mas isso não vem ao caso, o que isso tem a ver com a história toda?
A está esperando um filho, e essa era a surpresa que ela tinha para você, hoje.

Capítulo 03 - I'm Fallin...

N/A : Coloquem a música Savin'me – Nickelback para carregar ( https://www.youtube.com/watch?v=gU-B5YejBIM )

Então era isso, estava enfim realizando todo um sonho de uma vida, sua banda alçava vôos cada vez mais altos, era amada mundialmente, tinha uma vida feliz do lado da mulher que amava, a mesma que estava lhe dando um filho a única coisa que faltava na sua vida para que finalmente fosse a pessoa mais feliz do mundo: Um filho. E agora o destino conspirava contra ele e tudo desmoronava na sua cabeça...
Flashback ON Julho de 2004, McFly completava seu primeiro ano como banda, todos estavam felizes, tudo parecia tão surreal, há poucos meses atrás eles eram 4 garotos que só tinham em comum o amor amor à música e hoje estavam comemorando juntos o aniversário da sua banda.
- amor, senta aqui – pedia com aquela carinha de cachorro carente, a mesma que derretia milhares de coraçõezinhos, e entre eles estava o da sua namorada, como dizer não àquela carinha hein?
- O que foi, ? – revirava os olhos achando graça de todo o melodrama que só sabia fazer, já se aconchegando nos braço do namorado. - Sabe linda, estava pensando umas coisas aqui...
E você pensa amor? - interrompeu , deixando um emburrado, mordendo-o na bochecha logo em seguida – sabe que eu te amo neh, bobão?
- Continuando – dizia fingindo indiferença à interrupção – estamos juntos há mais de um ano, e hum....eu amo você, você sabe disso não sabe?
- Claro que eu sei – o encorajava a continuar
- Então eu pensei que não tem porque não estarmos juntos, quero dizer vivendo juntos, na mesma casa!
- ! – estava boquiaberta. Não espera que a conversa tomasse aquele rumo.
- , fala alguma coisa!
- você me pegou de surpresa – respondeu ainda confusa - não sei de verdade o que responder.
- É só dizer que sim, tão simples – Como é mesmo que se respira? Lá estava ele fazendo aquela carinha fofa, será que ele sabia do poder que ela exercia sobre as mulheres??
- Ain , você sabe o quanto isso é sério não sabe?
- Humhum.
- E o quanto isso pode e vai mudar nossas vidas, não sabe?
- Humhum.
- Não será fácil nem para mim e nem para você !
- Sim senhora!
- eu estou falando sério – choramingava .
- Mas eu também estou , nunca falei tão sério na minha vida. E então o que me diz?
- Acho que sim – ela respondia timidamente
- Eu te amo sua linda – a abraçava mais forte e beijava toda a extensão do seu rosto.
- E ae casal, se vocês não perceberam, estão numa festa – chegou interrompendo-os – será que vou ter que lhes ensinar como interagir com o público?
- vai se foder – reclamava mostrando o dedo para o amigo.
- É verdade , o vai entrar em depressão de tanto ciúmes que está sentindo, você trocou ele pela – brincou , arrancando gargalhadas do grupo. - Vou colocar o nome da na macumba e depois vou me afogar na privada – entrou na brincadeira fazendo uma voz afetada.
- Vocês são tão ridículos, mas apesar de tudo amo vocês seus bocós. Vem vamos lá pra dentro, quero cantar no karaokê – falava arrastando pela mão, agora era a vez dele revirar os olhos.
- E então, estão gostando da festa?? - perguntava já em cima do palco, e todos se calaram para ouvi-lo, era impressionante como ele de fato interagia com o público e a cumplicidade que havia entre eles – A quer cantar no karaokê! – ele agora apontava para a amiga – Eu sei o quanto pode ser torturante para todos vocês, – e agora mostrava a língua – mas também sabemos que não podemos contrariar os loucos, então finjam que estão gostando, posso contar com vocês? - arrancava risos dos convidados que prometeram não tapar os ouvidos ouvindo cantar, e esta agora mostrava o dedo para o amigo.
- Oi gente, agradeço do fundo do meu coração por vocês não fugirem correndo quando me ouvirem cantar, mas prometo que não será tão torturante – disse a última palavra olhando para e completou – pois o vai cantar comigo, vem ! N/A: Podem soltar a música cantava ainda com os olhos fechados, podia contar nos dedos as vezes que cantou na frente de tanta gente, normalmente tinha o banheiro como palco e o que tinha nele como platéia.
Prison's gates won't open up for me
Os portões da prisão não se abrirão para mim...
On these hands and knees I'm crawlin'
Com estas mãos e joelhos eu estou rastejando
Oh, I reach for you
Eu alcanço você...
Well I'm terrified of these four walls
Bem, eu estou aterrorizado com essas quatro paredes
These iron bars can't hold my soul in
Estas barras de ferro não podem aprisionar minha alma aqui
se aproximava de sorrateiramente como uma sombra, sua voz soava como um sussurro, mas suficientemente audível, era sua alma quem cantava...
All I need is you
Tudo que eu preciso é você
Come please I'm callin'
Venha, por favor, estou chamando...
And all I scream for you
E eu estou gritando por você
Hurry I'm fallin'
Apresse-se, estou caindo...
...I'm fallin'
Estou caindo

estava arrepiada, seria a música ou efeito que o exercia sobre ela?
Show me what it's like
Mostre-me como é
To be the last one standing
Ser o último a ficar de pé

Olhavam-se nos olhos, a fitava com seus intensos olhos que adquiriram uma cor mais vibrante, estavam totalmente conectados
And teach me wrong from right
E ensine-me a diferença entre o certo e o errado
And I'll show you what I can be
E eu te mostrarei o que posso ser
Say it for me
Diga isso para mim
Say it to me
Diga isso por mim
And I'll leave this life behind me
E eu deixarei essa vida para trás
Say it if it's worth saving me
Diga se vale a pena me salvar...

Tinham certeza que seriam um do outro sempre...
Heaven's gates won't open up for me
Os portões do paraíso não se abrirão para mim
With these broken wings I'm fallin'
Com essas asas quebradas estou caindo
And all I see is you
E tudo que eu vejo é você...
These city walls ain't got no love for me
Nas paredes da cidade não há amor para mim
I'm on the ledge of the eighteenth story
Eu estou na borda da 18ª história
And oh I scream for you
E, oh, eu grito por você
Come please I'm callin'
Venha, por favor, estou chamando
And all I need from you
E tudo que eu preciso de você...
Hurry I'm fallin'
Apresse-se, estou caindo...
...I'm fallin'
Estou caindo

A essa altura não se lembravam onde estavam, quem eram ou de quem estava em volta...
Show me what it's like
Mostre-me como é
To be the last one standing
Ser o ultimo a ficar de pé
And teach me wrong from right
E ensine-me a diferença entre o certo e o errado
And I'll show you what I can be
E eu te mostrarei o que posso ser
Say it for me
Diga isso para mim
Say it to me
Diga isso por mim
And I'll leave this life behind me
E eu deixarei essa vida para trás
Say it if it's worth saving me
Diga se vale a pena me salvar...
Hurry I'm fallin'
Apresse-se, eu estou caindo...

Tudo parecia tão irrelevante...
And all I need is you
Tudo que eu preciso é você
Come please I'm callin'
Venha, por favor, eu estou chamando..
And all I scream for you
E, oh, eu grito por você
Hurry I'm fallin'
Depressa, eu estou caindo...
...I'm fallin'
... Eu estou caindo
...I'm fallin'
... Eu estou caindo
Show me what it's like
Mostre-me como é
To be the last one standing
Ser o último a ficar de pé
And teach me wrong from right
E ensine-me a diferença entre o certo e o errado
And I'll show you what I can be
E eu te mostrarei o que posso ser
Say it for me
Diga isso para mim
Say it to me
Diga isso para mim
And I'll leave this life behind me
E eu deixarei essa vida para trás
Say it if it's worth saving me
Diga se vale a pena me salvar...
Hurry I'm fallin'
Apresse-se, eu estou caindo...
Say it for me
Diga isso para mim
Say it to me
Diga isso por mim
And I'll leave this life behind me
E eu deixarei essa vida para trás
Say it if it's worth saving me
Diga se vale a pena me salvar...

Estavam em seu mundinho particular e impenetrável ...
- Sabe , nunca me imaginei assim
- Hum...como? - quis saber com a voz ainda rouca, tinham acabado de acordar.
- Assim ué, aqui...hunf, dessa maneira
- Já eu, sempre imaginei! – puxava a namorada para um abraço mais apertado, enquanto mordia a sua bochecha – Sabe só que falta para ser mais que perfeito?
- Não, o que? - Raciocinar era tão mais difícil quando se estava nos braços do .
- Crianças correndo pela casa, e todas teriam que ser lindas como você – beijava agora o nariz de , e sorria ao imaginar a cena.
- Criança, ? Bebeu?
- Criança não, crianças! Quem sabe umas 3 para começar...
- Eu não me imagino mãe.
- Também não se imaginava casada e aqui estamos, tudo bem que ainda não consegui te levar ao altar – enfatizava o ainda – mas já é quase a mesma coisa.
- Você como sempre me faz descobrir uma que eu não imaginava que existisse ou que pudesse existir.
- amor, você é a minha estrelinha esqueceu? Você guia a minha vida!
- Não pode existir namorado mais fofo e perfeito que você sabia?
- Humhum, e lindo e gostoso também.
- Convencido – dava um peteleco na orelha dele.
- Outch! - reclamava ele – Desde quando a senhora ficou forte desse jeito hein?
- Senhora não, ! Isso me envelhece uns 30 anos.
- Senhora sim senhora! - sorria presunçoso – Em breve será a senhora !
- Pensei em algo mais impactante. – adora provocá-lo – Que tal senhora Pitt??
- Se você fosse a Senhora Pitt, não teria isso – beijava o lábio inferior de , descia os beijos até o pescoço da garota, dando leves mordidas, ao mesmo tempo apertava a sua cintura.
- assim não vale! – Fato, nunca conseguia raciocinar plenamente quando a provocava, ele era bom no quesito provocação e quase sempre conseguia o que queria.
- Então me diz que você será a Senhora .
- Isso é covardia,
- Meu bem cada um joga com as armas que tem, diz!
- Tá, tá bom, eu serei a senhora , satisfeito?
- Por enquanto sim – lhe dava mais um beijinho, agora no topo da sua cabeça – sabe
- O que??
- Queria cachorros e gatos também...
Flashback OFF

Capítulo 04 – You’re got a friend

? - perguntava com um sopro de voz, fazendo um esforço sobrenatural
, está tudo bem? - percebeu de imediato pelo tom de voz da amiga, que algo estava errado.
–Não está – respirou fundo, só ela sabia o quanto seria difícil e doloroso contar o que lhe afligia, mas por hora não entraria em detalhes.
–Amiga, estou voltando para o Brasil, já embarquei, só estou esperando o avião decolar.
–Espero sinceramente que o esteja sentado na poltrona ao lado, e que a sua volta ao Brasil seja só para contar a novidade aos seus pais – e eram amigas desde sempre ,suas mães se conheceram na escola, tornaram-se como irmãs, o mesmo sentimento que se estendeu até suas filhas.As duas dividiam o sonho de morar em Londres, o qual se realizou há 5 anos atrás, após conseguirem uma bolsa para estudarem moda, e que diga-se de passagem entendiam muito bem.
por favor – pediu agora com uma voz chorosa – Não quero falar sobre isso agora, me espera no aeroporto? - estava de férias visitando os pais no Brasil, e unindo o útil ao agradável ia todos os dias à praia, ninguém poderia culpá-la por querer um bronzeado natural
N/A: < diferente de umas certas bitches que pagam por bronzeamento artificial as mal-caráteres me entenderam,hahahaha
–Claro amiga – estava arrependida pela maneira um pouco dura que havia falado com a amiga, mas era uma das pessoas que ela mais amava o mundo e não podia vê-la tomando decisões que poderiam ser erradas sem fazer nada para impedi-la – Se cuida, e cuida do meu sobrinho também, te vejo amanhã!

A viagem seria longa, afinal são 12 horas de voo, não queria pensar nos recentes acontecimentos e nem nos motivos que a fizeram tomar aquela decisão e para passar o tempo resolveu comprar algumas revistas, livros, tudo que a ajudasse a se distrair um pouco, não seria fácil mas precisava ao menos tentar.
Colocou seus ray ban nos olhos, puxou o capuz do seu casaco para a cabeça, queria estar invisível na multidão, criar uma barreira entre a sua dor e o resto do mundo. Não precisou andar muito para encontrar uma livraria no próprio aeroporto, passou os olhos por alguns livros, não sabia o que procurava mas tinha certeza que não queria ler nada com teor romântico, já estava vivendo o desmoronamento do seu conto de fadas quer algo mais dramático que isso?? Pois ela não.
Encontrou alguns dos seus favoritos, a série Potter estava ordenada do 1° ao 7°, não pôde deixar de esboçar um sorriso, tinha a coleção completa em casa( atualmente ex casa) mas Potter é sempre Potter, logo abaixo estavam os livros O Diário da Princesa, mais lembranças, ela os leu a primeira vez no vôo que a levava à Londres e foi lendo, ou melhor devorando um a um, lembrou também que o último da série estava super dificíl de encontrar o que a deixava de mal-humor, e consequentemente afetava a todos que estavam a sua volta, até que adivinhem quem foi o salvador da pátria e encontrou o livro e a deu de presente? Se você disse acertou e ganhou uma cueca furada do de presente! Deixou esses livros para trás também junto com as lembranças, continuou a sua incessante procura e acabou se decidindo por ler A Garota da Capa Vermelha mesmo, já tinha assistido ao filme e gostado muito, sabia que não seria livre totalmente do romance que ela estava fugindo mas pelo menos não era somente em torno dele que a história giraria.Ao sair do caixa após de pagar o livro e alguns chocolates que estavam convidativamente esperando serem comprados
N/A: Sabem como é neh, mulher em depressão e chocolates casam perfeitamente bem, como Brasil e futebol, Londres e homens lindos e claro ventiladoras e McFly
foi surpreendida por alguns fãs do McFly que pediram para tirar fotos com ela, perguntaram sobre novidades em relação a banda e tals, tentou ser o mais simpática possível mas quando o assunto tomou rumos indevidos ( lê-se ) ela desconversou e se despediu alegando que estava se aproximando a hora do seu vôo sair, o que não deixava de ser verdade. Tinha que se preparar para aquilo, as pessoas a questionariam sobre o seu romance com ,ou mais precisamente sobre o término dele, afinal eles sempre foram um casal adorado pelo público, era até engraçado pois as fãs dele não a odiavam pelo contrário eram suas cúmplices, sempre que podia sorteava entre elas coisinhas do que toda fã gostaria de ter: roupas, copos e outros objetos pessoais, ela se divertia com isso, tinha muito orgulho do tanto que seu namorado era querido.
Novamente as lembranças chegavam sem pedir licença junto com as lágrimas que teimavam em formar bolsas sob seus olhos, foi surpreendida pela voz que anunciava que o seu vôo era o próximo a partir, se despediu da sua querida e amada Londres estava em busca de uma nova vida, e , Londres e seu passado estavam definitivamente fora dela.

POV

acordou com a campanhia que não parava de tocar estridentemente, tinha esquecido de cortar os fios daquela porra, será que ninguém respeita e entende que ele não queria ser incomodado, queria ficar sozinho com a dor, culpa e com as suas garrafas de bebidas que milagrosamente estava até durando bastante levando em consideração o quanto ele estava bebendo ultimamente.
–Já vou cacete – ele gritou para quem que fosse que o estivesse incomodando – ainda não aprendeu que toca saporra uma vez e espera a pessoa atender?
abre logo isso – gritou de volta – você não dá sinal de vida, estamos preocupados mesmo que você não mereça
Ele finalmente abriu a porta chocando os amigos com a sua aparência atual, estava todo desgrenhado, com a barba por fazer e emanava um terrível cheiro de bebidas misturado com um odor estranho, estava irreconhecível.
–Cara o que houve com você? - estava chocado
–Nada bitch – respondeu irônico – é só um reflexo da felicidade que tomou conta da minha vida
você tem todos os motivos para estar assim, mas porque droga de razão você foi fazer aquilo com a ? - quis saber
–Meu cu pra vocês – ultimamente era muito fácil faze-lo perder o controle – vocês realmente acreditam que eu faria algo para magoá-la?
–Vamos combinar que você não era o que podemos chamar de cara-de-uma-garota-só – respondeu fazendo aspas imaginárias com as mãos.
–Isso foi antes da fazer parte da minha vida
–Ele tem razão caras – o defendeu – faria tudo pela e nós somos testemunhas disso, tem que ter uma explicação pra isso
–Algum de vocês tem notícias sobre ela e meu filho?- perguntou querendo mudar o rumo daquele assunto
–Ela não nos atende, provavelmente porque não quer que a gente fale nada pra você – respondeu com pesar
–Eu sei que ela já está no Brasil como imaginamos – contou o que sabia aos amigos, precisava tranquilizá-los principalmente a – a está cuidando dela, ela está muito abatida – tentava interromper mas prosseguiu – ela já fez os exames lá que mulheres grávidas fazem e está tudo bem com o bebê
–Já sabe o sexo? - estava tão empolgado, parecia uma criança que ia acabar de ganhar o presente novo que mais queria
–É um menino – começava a discussão
–É uma menina – discordou – tenho certeza
–Menino – rebatia – e já vai sair da maternidade com o uniforme do Manchester
cala a boca quer desvirtuar meu filho? - estava até mais animado
–Como assim seu filho? - fingia uma indignação colocando a mão na cintura – corrija logo essa frase, é o NOSSO filho – OUTCH! - deu um pedala na cabeça do amigo
o seu filho ou FILHA é o nosso primeiro McBaby – colocava um fim na questão e você sabe que vai ter que dividir com a gente, já vou treinando pra quando o meu vier.
–Nem pensar – reclamou – você por acaso acha que eu e a deixariamos uma criança com vocês, eu lembro muito bem o que aconteceu com o hamster que você e o tinham
–Que hamster? - perguntou confuso
– Tá vendo? - respondia vitorioso – esse é o tipo de pessoa que quer cuidar de uma criança? Jamais.
– Pois meu bem – piscou uma voz afetada - eu vou para o Brasil visitar a , quero que ela saiba que pode contar comigo e de quebra me ofereço pra padrinho do meu futuro afilhado torcedor do Manchester – e por fim soprou um beijo estalado para o
– Como assim você vai ser padrinho? - perguntou indgnado – além de eu ser o McFly favorito da agora que o perdeu o posto dele, não é nada pessoal tá cara – se desculpava pelo comentário – e afinal quem é a melhor amiga da ? Eu respondo, a MINHA NAMORADA e por questão de lógica ela será a madrinha e eu como já disse sou o favorito da mãe da criança e namorado da futura madrinha dela, logo eu sou o padrinho. Ah perdeu , se ferrou – jogou uma almofada no amigo que provavelmente se perdeu no meio da explicação e emburrou a cara, ir ao Brasil era um plano tão bom...
não sabia que pensava – provocou com um sorriso debochado no rosto – e a sua idéia é muito boa, quero mesmo visitar a e o bebê, veremos quem será o padrinho, que vença o melhor – desafiou ele – embora já saiba o resultado
– Falou o -Fodão – ria dos amigos – Mas é sério isso de irem ao Brasil? Ficaria mais traquilo
– Mas é claro – respondeu – além de tudo estou morrendo de saudades da minha namorada
mulherzinha – implicou – você está muito gay ultimamente O clima começou a pesar mais um pouquinho
– Hum...caras, eu acho que vou ao Brasil – estava amadurecendo a idéia dada pelos meninos - preciso falar com a , tenho que explicar o que houve, vocês entendem?
– Eu não quero ser desmancha prazeres mas ela não vai querer te ver tão cedo – falou – Aí que vocês entram na história, pode conseguir mais informações com a , e e me ajudam a convencê-la que não tenho culpa do que aconteceu e que amo a mais que tudo nessa vida, seria uma grande aliada, posso contar com vocês?
– Bem está na hora de sairmos de férias mesmo, está verão no Brasil, um monte de gostosas com biquínis pequeninos – falava empolgado imitando com as mãos os seios femininos – atrás de caras sexies como eu.
– Ouvi dizer que tudo o que as brasileiras têm de lindas, tem de inteligentes, olha a como exemplo – provocava - elas não vão querer nada com você então tire o seu “amiguinho” da chuva que é o papai aqui que vai entrar em ação
– Quer apostar que eu vou pegar mais mulher que você? - propôs irritado
– Nunca ganhei uma aposta tão facilmente
você tem que ter cuidado pra quando sair na rua nenhum turista tentar escalar o seu ego como se fosse um ponto turístico
– Onde aprendeu isso ? Assistindo Bob Esponja?
– Dá pra vocês dois deixarem de ser mulherzinhas? - interrompeu ansioso – vão me ajudar ou não a recuperar a minha vida??
– Ainda pergunta? - respondeu – Brasil aí vamos nós!
– Só uma coisinha crucial – interrompeu meu bem você precisa de um banho urgente, ou quer que o avião caia antes mesmo de chegarmos ao Brasil,o piloto e a tripulação vão morrer intoxicados ao sentirem o seu cheiro.
– Vai se foder deu um soquinho no ombro do amigo – está na hora de anunciarmos que o McFly começará uma turnê na America do Sul e de quebra tiramos umas férias.
– Mulheres brasileiras e gostosas aguardem que terá para todas. Aloha!
– Pateta, aloha não é uma expressão brasileira – retrucou batendo na própria testa.

Capítulo 05 – Yesterday

N/A: É opcional ouvir Here Comes The Sun ( The Beatles) ( http://www.4shared.com/audio/-ZtEqWId/Beatles_-_Here_Comes_The_Sun.html )
na POV

Estava amanhecendo, só quem assistiu ao nascer do sol sobrevoando, conhece a emoção que sentiu,sensação de liberdade, de poder, de mudança,de que tudo poderia ser diferente, sentiu uma pontada de esperança. Permaneceu olhando pela janela por mais alguns minutos, em tão pouco tempo sua vida mudou, não pôde deixar de se lembrar com uma mistura de carinho, tristeza e saudade dos momentos felizes que havia vivido.

Flashback ON

na desliga essa tv e vai dormir – resmungou jogando um travesseiro na amiga, a claridade incomodava seus olhos – amanhã você não vai nem conseguir ficar de pé quem dirá assistir ao show.
– Eu sei mas não consigo, em 8 horas 20 minutos e 30,29-28-27 segundos eu vou estar frente a frente com os guys tem noção disso? Vou poder abraçar, agarrar, beijar muito o e dizer sim quando ele me pedir em casamento.
– Eu estava pensando a respeito, não sei como vou agir quando finalmente ver o , espero isso a tanto tempo. Nós duas em Londres e ás vésperas de conhecer o McFly, se Deus quiser pode até me levar depois do show porque depois dele poderei morrer feliz.
– Você está louca? - reclamou na – Se você morrer quem vai ser a madrinha do meu casamento?
– Sua vaca! - xingou jogando outro travesseiro na amiga, eu só sirvo para ser a madrinha do seu casamento com o Fletcher é? Vou ali rapidinho encomendar via sedex 10 uma caixa de chumbinho pra que eu possa cometer suicídio depois dessa. - brincou
– Agora é sério vai dormir, conta carneiros ou o Fletcher pulando cerquinhas cor-de-rosa ou qualquer outra coisa mas dorme, esqueceu que temos que madrugar na fila se quisermos ser as primeiras a entrar?
– Acho melhor sermos as última porque assim eles vão poder dar mais atenção a gente – retrucou na
– Eu duvido, quanto mais perto da hora do show pior, eles vão ter que atender super rápido para não atrasarem e quem estiver por último se fode. Vai dormir antes que eu jogue esse abajur na sua cabeça. - Sabendo que era capaz de cumprir a promessa desligou a tv e jogou o edredom sobre si, adormecendo logo em seguida e sonhando com a noite toda.

Após 4 horas em pé na fila, muitos gritos a cada van que entrava na Wembley Arena, empurrões, unhas roídas e choros na e entraram na sala principal onde os caras da banda que elas tanto amavam esperavam exaustos por mais fãs embora a banda fosse super recente principalmente se comparadas aos verdadeiros monstros sagrados que ainda estavam na estrada, suas fãs eram completamente apaixonadas, fiéis, dedicadas como se conhecessem cada pedacinho dos seus ídolos, o que pensavam, como agiriam numa determinada situação hipotética, eles ficavam tão impressionados com isso que um dia uma fã ao ver o Danny com um copo na mão disse “ Porra Jones essa é a quarta marguerita que você toma em menos de 10 minutos, fora as seis garrafas de cerveja, você quer por acaso morrer de cirrose?” Ele ficou tão apavorado que saiu correndo enquanto gritava que uma menina possuída queria matá-lo, com muito custo os guys conseguiram segurá-lo e explicar que a garota não era uma assombração e sim uma fã que estivera momentos antes no mesmo pub que eles, mas se tratando de Danny Jones foi preciso mais de meia hora para que ele finalmente compreendesse mas por via das dúvidas preferiu não arriscar, toda vez que a menina se aproximava para provar que era real ele fechava os olhos pois correr era impossível já que estava sendo segurado pelos outros caras. Depois desse dia prometeu que nunca mais ia beber, acho que nem preciso dizer que a promessa não durou mais que 3 dias.
Agora faltava pouco, só mais duas meninas e finalmente as amigas estariam realizando um sonho, foi primeiro, sempre foi mais desinibida, sabia lidar melhor com a pressão falava um “ I love you” enquanto se dividia entre dar gritinhos histéricos, abraçar e beijar os guys arriscou até um escorregar de mãos na bunda do , ele na hora se surpreendeu pois foi pego de surpresa mas acabou por dar um sorrisinho cúmplice, afinal a menina era corajosa e isso ele não podia negar. na seguia logo atrás de , seus sentidos estavam suspensos, em alguns momentos percebia-se abraçada, vislumbrou flashes das trocas de olhares entre , e e por fim perdeu por completo o pouco do controle que tinha sobre si, seus pés pararam de obedecer, seu coração batia cada vez mais acelerado, não o sentia mais bombeando sangue pelo seu corpo, respirar ficava cada vez mais difícil, 3, 2, 1 finalmente estava diante de Fletcher, a pessoa com quem ela dizia para quem quisesse e não quisesse ouvir que iria casar, que era o pai do seu bebê pinscher miniatura que foi batizado carinhosamente de Fletcher Jr
N/A: Esse é o seu filho pinscher miniatura caso queira ver
https://fbcdn-sphotos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/388860_264469713614109_2110801782_n.jpg o seu , o cara mais lindo, fofo, mordível, carinhoso, incrível e admirável de todo o universo, ela até se perguntava se ele de fato era real cogitava até a idéia dele não ser desse planeta, fato não existia ninguém como Fletcher. Após trinta minutos olhando para a face do
N/A: hahahahaaha Troll Nana! Sacanagem foram 5 minutos sem esboçar nenhuma reação ele resolveu tomar a iniciativa, afinal já estava acostumado com tal situação, a reação das fãs era variada quando o viam, algumas assim como a perdiam a fala, o ar,a noção de onde estavam ou o que foram fazer. se aproximou, esboçou um grande sorriso e abriu os braços para um convidativo abraço, continuava paralisada como se estivesse petrificada, finalmente ultrapassou a invisível barreira que havia entre eles, encostou seus lábios no topo da cabeça da menina e a aninhou em seus braços, esta quando se percebeu envolvida pelo abraço do e sentiu o seu perfume respirou bem fundo como se fosse a última coisa a fazer em vida, foi como se se libertasse de um transe, como se precisasse daquilo para se manter viva porém não foi o suficiente, perdeu os sentidos antes mesmo que pudesse se dar conta.

O local era amplo, claro, com instrumentos espalhados por todos os lugares imagináveis, as janelas estavam abertas dando passagem a uma leve brisa, ainda estava se acostumando com a claridade, explorou o lugar com os olhos mas não conseguia reconhecer nada de familiar até encontrar em um canto mais afastado , mais três pessoas as quais ela não se recordava conversando sobre o que ela era incapaz de ouvir devido a distância que se encontravam e se sobressaltou ao se deparar com o par de olhos castanhos mais brilhantes que já havia visto a fitando intensamente, se sentiu imensamente envergonhada ao se recordar do acontecido e por não ter sido capaz de controlar suas emoções estar agora deitada em um sofá no camarim do McFly, mal sabia ela que aquele era o primeiro dos muitos momentos que passaria com ...

FLASHBACK OFF


Capítulo 06 – Do you remember?

< N/A: Dudes algumas imagens estão disponíveis na página da fanfic, sugiro que vejam pois ajudarão no entendimento do capítulo http://www.facebook.com/media/set/?set=a.264635003597580.62179.264443060283441&type=1

Noite de 22 de dezembro, os garotos se preparavam para subir ao palco pela última vez no ano antes da já comum pausa para o Natal.
afinava sua Gibson - Les Paul classic (https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/s720x720/387941_264635120264235_1086681949_n.jpg), fruto de uma aposta com o sobre o tamanho dos peitos da Scarlett Johansson(https://fbcdn-photos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/407142_264858676908546_2007540638_a.jpg), apostou que eles foram aumentados pelo milagre da cirurgia plástica enquanto jurava que eram originais de fábrica e que ele poderia provar, após uma breve busca no Google ficou compravado que a beldade já nascera com eles e arrebatava mais uma guitarra para a sua coleção. por sua vez xingava baixinho, ele e resolveram também participar da aposta, apostou que o ganharia a aposta e que seria o vencedor. Como saiu vitorioso só restou ao lavar por um ano as cuecas de um que gargalhava horrores.
As luzes apagaram e se fez ouvir a introdução de she falls asleep part 1 enquanto passava simultaneamente no telão imagens de cada show feito naquele ano, as trollagens no camarim, backstage, a filmagem que fizeram do no banheiro, mais precisamente sentado no vaso fazendo o “número 2”, o gritando desesperado por causa da barata que o queria jogar nele, por sua vez indo tomar café no restaurante do hotel e atraindo todos os olhares para si, só foi entender a razão quando viu a sua imagem refletida no espelho: o seu rosto estava maquiado, a sombra azul metálico fazia um contraste gritante com o batom rosa-shoking e o blush vermelho, suas sobrancelhas estavam mais negras e unidas com o auxílio de um delineador poderoso, por um momento ele ficou em dúvida se estava se vendo ou se a Valéria Vaques havia se materializado na sua frente, por sua vez foi filmado num momento um tanto constrangedor com seu boneco do E.T.
A música era a deixa que a banda esperava para subir ao palco e levar ao delírio os milhares de fãs que estavam ali com um único objetivo: passar o máximo de tempo possível com as pessoas que mais admiravam no mundo.
cumprimentou o público com o seu já habitual “ Hello Wembleeeeeeeey” que respondia em meio a gritos e lágrimas “ARE YOU FINE?” era a deixa para que as fãs gritassem mais e mais, completamente enlouquecidas “ I'M FEELING!! TODAY WILL BE THE BEST DAY OF OUR LIVES” agora gritavam como se as suas vidas dependessem disso “Let's Gooooooooooooooooooooo”
I Wanna Hold You foi a primeira música tocada, e o público foi ao delírio, naquele momento já estava claro que aquele show estaria na lista dos shows memoráveis, em seguida ouviu-se um coro pedindo que a banda tocasse Jungle Matt, os garotos se entreolharam cúmplices e fizeram a vontade dos seus fãs.
A cumplicidade entre McFly e fãs era tão intensa que em um momento do show arriscou cantar Is Gay sendo acompanhado logo em seguida pelos outros integrantes da banda e pela platéia que estava dividida entre cantar e rir devido a cara de decepção que fazia, o guitarrista pensava seriamente em dar umas “guitarradas” no baixista mas se conteve, destruir seu instrumento novo não valeria tanto a pena, ele pensaria depois em algo para dar o troco.
Após mais algumas gracinhas e tantativa grupal de jogar o baterista de cima do palco, encerraram o show agradecendo mais uma vez a todos por estarem lá com eles, transformando um dia que tinha tudo para se comum num dia especial e inesquecível, agradeceram principalmente às pessoas que sairam de sua cidade ou até mesmo países para estarem lá, uma dedicação desse tipo é mais valiosa que qualquer dinheiro. Cada um “lia” as bandeiras que balançavam entusiasticamente: França – Espanha – Chile – GRÉCIA – Venezuela – México – China – Japão – Woooooooooooooooooooooooooooooooooow BRASIIIIIIL! - não se conteve – Brasil nos aguarde estamos chegando!
Só foi o tempo do olhar feio para o , com ele gritando para os quatro ventos que estavam indo para o Brasil, era quase certo que a ficasse sabendo e dificultasse a tentativa deles de encontrá-la. As luzes se apagaram, e o McFly deixou o palco em direção ao camarim, ainda ouvindo os gritos dos fãs que gritavam enlouquecidos por mais.

ainda estava irritado com o amigo, torcia para que a namorada ou pelo menos para ele ela continuaria sendo, não ficasse sabendo de nada, se desculpava, afinal não fez de propósito só ficou empolgado era o efeito que o Brasil exercia sobre ele. bebia uma garrafa de cerveja concentradíssimo em não desperdiçar nenhuma gota e estava preocupado em secar o rosto e cabelos, uma vez ou outra olhava de para , torcia para que ambos não brigassem, era tudo o que não precisavam naquele momento, foi o primeiro a entrar no camarim em busca de uma toalha seca e parou assustado com o que viu, que estava logo atrás dele não conseguiu parar a tempo e a cerveja que estava em suas mãos respingou no amigo.
- Porra o que está acontecendo aí? Petrificaram você? - Quis saber irritado.
- ? - indagou não obtendo resposta.
foi abrindo o caminho por entre os meninos e finalmente entendeu a razão do choque do , sentiu asco, nojo, irritação, uma fúria incontrolável tomava conta de si, não era possível que seus olhos estivessem pregando uma peça de tanto mal gosto.
- meu amor – sua voz era pura vulgaridade – sentiu saudades de mim meu amor? Não me ligou, não atendeu meus telefonemas, eu sei que você está se fazendo de difícil mas já deu né? - Desferia tais palavras enquanto se aproximava de tocando seus lábios.

Capítulo 07 - Xmas: Time 4 changes?

- minha linda! Está precisando de algo? - perguntava com um leve tom preocupado na voz. falava pouco e se alimentava menos ainda desde que chegou de Londres.
- eu estou bem, pode entrar se quiser – abriu a porta do quarto cautelosa, irritar uma mulher grávida com os hormônios à flor da pele não é lá muito seguro. Entrou a tempo de ver a amiga correr para vomitar, segurava os cabelos dela e secava o suor que escorria pelo seu rosto, ela não estava nada bem. Quando acabou, prendeu os cabelos num coque frouxo, escovou os dentes e foi tomar um banho, aproveitou para fazer uma vitamina, colocou seu pijama do Mário Bros e as duas deitaram na cama enroladas no edredom felpudo que lá se encontrava, ficaram a tarde inteira assistindo filmes, começaram com o favorito de ambas: O Rei Leão. - Hum...
- se você não se incomoda eu não quero conversar agora, só quero ficar quietinha aqui assistindo.
- Eu sei amiga mas é importante – insistia – o me ligou hoje e falou que o e eles...
- por favor – interrompeu na)
– eu não quero saber nada sobre o ainda tentava insistir.
- Não ! - abaixava o tom de voz – pelo menos não agora – balançava os ombros como se dissesse que havia tentado.


... O nojo que sentia daquela mulher se intensificou com a proximidade dos seus corpos, as palmas das suas mãos estavam quase em carne viva, tamanha a força que fazia para se controlar e não fazer o que merecia ser feito.
- sai daqui – cuspia pausadamente as palavras.
- você sente a minha falta – ela se encontrava perigosamente perto.
- Você acabou com a minha vida sua vadia!
- Ah por favor! - Debochava indo em direção ao frigobar e abrindo uma garrafa de Stella.
- SAI DAQUI PORRA! POR SUA CAUSA A MINHA MULHER FOI EMBORA – agora agarrava os próprios cabelos e diminuiu o tom de voz como se falasse apenas para si – e levou, levou com ela...
- Eu lhe fiz um favor, aquele projeto de mosca morta não lhe merecia, nem tinha noção do homem que tinha e ... - o que ela ainda tinha a dizer se perdeu em meio aos gritos, a puxou pelo braço e empurrou porta a fora deixando vivas marcas devido ao ódio que sentia e no coração um forte desejo de vingança.
- Dude o que foi aquilo? - perguntou quebrando o silêncio.
- Ela... ela é completamente louca – dizia não conseguindo acreditar nos acontecimentos recentes.
- você tem que tomar cuidado com ela – era o mais sensato, aquela situação o preocupava e muito – Se a já ferrou sua vida uma vez ela fará de novo. É até bom a não estar aqui, a vida dela seria transformada num inferno.
- Mas eu a protegeria – rebateu um indignado, talvez se perguntando se seria capaz de cumprir o que acabou de afirmar.
- Bem – interrompeu quebrando o silêncio que se instaurou – Não sei se as meninas se lembram mas temos uma viagem para fazer amanhã cedo. Vou para casa arrumar minhas malas.
- Quando diz malas, está se referindo a mais de uma – perguntou um confuso.
- Claro que não gênio – ironizou – ele está se referindo a um quinto da raiz cúbica de 31 elevado a décima potência multiplicado por ele mesmo. – aos poucos foram saindo um a um, deixando um para trás contando nos dedos e se perguntando se ao menos se lembrava do que seria um quinto...


... Londres amanheceu perfeita, com uma mescla de sol radiante e friozinho aconchegante, clima que só ela é capaz de oferecer, ideal para ser compartilhado com quem se ama. se lembrou bem disso assim que abriu as janelas e foi inundado pelos primeiros raios de sol, lembrou-se de , dos momentos que passaram juntos, dos engraçados, dos felizes, dos nem tanto, lembrou-se da falta que ela fazia e do quanto se sentia vazio, sozinho, perdido, sentia falta da mulher que amava, sentia falta do homem que ela era, sentia falta do maior presente que poderia receber, o bebê que ela carregava em seu ventre, sentia falta de cada dia perdido e que jamais seria capaz de recuperar. Sentiu-se triste, seu estômago doía, sua boca estava seca e com leve amargo. Fechou a janela, checou sua mala, conferiu se o passaporte, passagens e afins se encontravam na mala de mão, deu uma última olhada na casa, fechou a porta e encaminhou-se até a entrada no condomínio onde combinou de encontrar os outros garotos. e chegaram logo em seguida, cada um com duas malas assim como , uma com roupas e outros itens e uma outra menor para levar consigo no vôo.
Alguns minutos se passaram, outros também e nem sinal do , começava a se preocupar, faltava menos de uma hora para o vôo e não haviam feito nem check-in, nem ao menos saído de casa, e para falar a verdade não moravam tão perto assim do aeroporto. Logo em seguida foram surpreendidos por um barulho, empurrava com as costas enquanto impulsionava com os pés, nada mais, nada menos que vinte e cinco malas, V-I-N-T-E-E-C-I-N-C-O-M-A-L-A-S unidas uma a uma, por mais esforço que fizesse chegou um momento em que não conseguia mover nem um milímetro sequer, não é que , e não quisessem ajudar, mas ficaram tanto tempo chocados com a cena e claro rindo dela que nem tiveram tempo para isso.
impaciente e com receio de perderem o vôo, arrastou pela gola da camisa enquanto o mesmo tentava a todo custo se agarrar às malas com as pernas, caiu, puxou-o de novo e agora com a ajuda dos outros rapazes conseguiram com muito esforço colocar um resmungão e choroso no carro, como não sabia onde havia colocado a chave da corrente que unia as malas não pode levar nenhuma sequer. Conseguiram sem mais delongas chegar ao aeroporto e fazer o check-in, foram abordados por alguns fãs, posaram para fotos, distribuíram alguns autógrafos e se encaminharam a sala de embarque e logo em seguida embarcaram.
As dez primeiras horas de vôo foram tranqüilas, os meninos ocuparam seu tempo cantando, dormindo, jogando, sacaneando uns aos outros, comendo, interagindo nas redes sociais e bebendo, a última opção foi a mais problemática, chateado com a lembrança das suas roupas da última coleção que iam de Calvin Klein a Giorgio Armani deixadas no meio do condomínio, tomou um analgésico numa tentativa de afastar o incômodo de uma leve dor de cabeça e quando o remédio começava a fazer efeito resolveu tomar algumas doses de whisky, tequila, vodka, bitters ,gin ,cachaça ,rum ,licores ,vinhos do porto ,espumantes ,champagne ,pro secos, camparis, martines, fernes, conhaques ,armagnaques ,cervejas ,bagasseiras , araquis e estanhague para entrar no clima e chegar relaxado no Brasil. Acontece que o clima que entrou nele, em um determinado momento que ninguém sabe precisar, ele se encontrava vestido, ou melhor despido, usando apenas uma gravata vermelha amarrada na cabeça, provavelmente pertencente a algum passageiro, no seu tronco com uma caligrafia tosca em letras igualmente vermelhas estava escrito algo como “brasileiras beber direto da minha garrafa”, a frase terminava com uma seta apontando para o seu pênis. Seus últimos minutos de vôo foram alternando corridas entre a primeira e segunda classes, se desvencilhando dos comissários de bordo, dos seguranças e dos seus amigos que tentavam a todo o custo contê-lo e perguntando aos gritos e risadas se havia alguma brasileira no avião pois caso houvesse ele estava oferecendo uma genuína bebida européia diretamente da fonte.

To be continued...


Relooooooooou pipooooooooow! Como vão? Gostaram da att? O que acham que vai acontecer com o Peladão do Avião? Aceito sugestões, e é bem provável que as mais legais entrem nos próximos capítulos. Meninas como pode? Só agora me dei conta da quantidade de tempo que fiquei sem escrever, pois é passaram-se quase 02 anos, e agora mais um ano desde a última atualização. Muita coisa aconteceu, nosso McBaby Buzz nasceu, o McBusted também, enfim, só ótimas notícias!
Fiquei um pouco sem ânimo para escrever pois perdi tudo, tudinho que já havia escrito de PSMGE inclusive o final quando meu PC foi formatado, levei um tempinho para criar coragem para reescrever a fic. Fiquei muito ao perceber que ainda tenho leitoras, algumas meninas sempre me perguntando quando teria att e me dei conta de que se vocês não desistiram de PSMGE eu também não deveria desistir. É isso, só tenho a dizer muito obrigada, obrigada também a Tha por tudo e prometo att o mais rápido que puder.
Beijooooos!
Nana Hope em 31/03/14. Nova att em breve!!!
comments powered by Disqus

Um comentário :

  1. Anônimo1:23 AM

    Procurei essa fic que nem uma louca, quase morri quando vi que ela saiu do FFOBSS amei você ter postado ela aqui.

    ResponderExcluir